INTELIGÊNCIA FINANCEIRA: ESTUDO DE CASO COM COLABORADORES DE UMA MULTINACIONAL DE ALIMENTOS

Autores

  • Nádia Ligianara Dewes Nyari Centro Universitário UniLaSalle Lucas do Rio Verde, Lucas do Rio Verde, MT, Brasil https://orcid.org/0000-0003-0237-5116
  • Joana D’arc Alves Portela Centro Universitário UniLaSalle Lucas do Rio Verde, Lucas do Rio Verde, MT, Brasil
  • Geverson Tobias Böhm Centro Universitário UniLaSalle Lucas do Rio Verde, Lucas do Rio Verde, MT, Brasil
  • Sandra Ines Horn Bohm Centro Universitário UniLaSalle Lucas do Rio Verde, Lucas do Rio Verde, MT, Brasil
  • Sandro Luiz Pinheiro Centro Universitário UniLaSalle Lucas do Rio Verde, Lucas do Rio Verde, MT, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v16i31.109

Resumo

A inteligência financeira refere – se em organizar as finanças de forma equilibrada e sensata, a fim de que não ocorra prejuízos econômicos. Nesse sentido o presente estudo tem como objetivo identificar a relação entre o nível de educação financeira e o nível de endividamento dos colaboradores de uma multinacional do segmento alimentício localizada no médio norte do Mato Grosso – MT, além de avaliar o comportamento e a forma como estes administram ou empregam seus recursos, apresentando mecanismos para a apresentação de um programa de educação financeira.  A pesquisa se caracteriza como de natureza aplicada, a forma qualitativa, quanto aos objetivos descritiva e explicativa, e se distingue quanto aos procedimentos técnicos como estudo de caso. Sendo realizado através de um questionário estruturado a 100 colaboradores da empresa multinacional, onde as análises estatísticas e os resultados para alcançar os objetivos do estudo indicaram que o nível de educação financeira ainda é insuficiente e insatisfatório, sendo as principais deficiências decorrentes a falta de conhecimento e consciência crítica sobre o planejamento econômico, informações suficientes sobre tipos de investimentos, orientações sobre controle de compras e uso de produtos bancários principalmente o cartão de crédito e cheque especial. Sendo assim as organizações devem se preocupar um pouco mais sobre esse tempo, visto que é de grande relevância especialmente para a economia do país, procurando – se aprofundar, desenvolvendo políticas de prevenção e conscientização sobre o endividamento e propor melhorias para que este não impacte negativamente no desempenho organizacional.

Referências

ANDRADE, R. M. Qualidade de vida no trabalho dos colaboradores da empresa Farben S/A indústria química, Tese de Doutorado da Universidade Federal de Sergipe Campus São Cristóvão

Disponível em www.acervo.ufs.br. Acesso julho de 2019.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Caderno de Educação Financeira – Gestão de Finanças Pessoais. Brasília: BCB, 2013. Disponível em https://www.bcb.gov.br. Acesso em outubro de 2018.

BARBEDO, C. H. da S. Finanças Comportamentais. Editora Atlas S.A, São Paulo, SP, 2008.

BARBOSA, M. J. da S., SILVA, M. A. da & PRADO, R. A. D. P. do. Orçamento doméstico: sondagem de opinião do consumidor no Pontal do Triângulo. IX CONVIBRA Administração, Congresso Virtual Brasileiro de Administração, 2012. Disponível em http://www.convibra.com.br. Acesso em 11 maio 2016.

CENCI, J. J., PEREIRA, I. & BARICHELLO R. Educação Financeira, Planejamento Familiar E Orçamento Doméstico: um estudo de caso. Revista Tecnológica, v. 3, n. 2, 2015.

CERBASI, G. Como organizar sua vida financeira: inteligência financeira pessoal na prática. Editora Elsevier, Rio de Janeiro, RJ, 2012.

CHEROBIM, A. P. Finanças Pessoais: Conhecer para Enriquecer. Editora Atlas, São Paulo, SP, 2010.

CHEROBIM, A. P. M. S. & ESPEJO, M. M. S. B. Finanças Pessoais: conhecer para enriquecer. Editora Atlas, São Paulo, SP, 2010.

CLAUDINO, L. P., NUNES, M. B., & Silva, F. D. Finanças pessoais: um estudo de caso com servidores públicos. Anais do SEMEAD-Seminários em Administração, São Paulo, SP, Brasil, 2009.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO. Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor. Disponível em http://cnc.org.br. Acesso em outubro de 2018.

FERREIRA, V. R. M. Psicologia econômica: como o comportamento econômico influência nas nossas decisões. Editora Elsevier, Rio de Janeiro, RJ, 2008.

FRANKENBERG, L. Seu futuro financeiro. 8° Edição, Editora Campus, Rio de Janeiro, RJ, 1999.

GIANETTI, E. O Valor do Amanhã. Editora Companhia das Letras, Editora São Paulo, SP, 2005.

JUBINI, T. da R. S., BALBINO, J. M. de S. & BESSA, L. M. Finanças Pessoais: Uma Pesquisa com Servidores de uma Instituição de Ensino Pública Federal, Revista Científica Intelletto, Editora Venda Nova do Imigrante, v. 2, n. 1, ES, 2017.

JUNIOR, I. P. G., MELO, E. R. & SILVA, K. S. Orçamento Familiar Como Ferramenta De Auxílio No Gerenciamento Dos Recursos Financeiros De Pais Universitários. Ideias e Inovação-Lato Sensu, v. 4, n. 3, 2018.

KIYOSAKI, R. Desenvolva sua inteligência financeira. Editora Alta Books, Rio de Janeiro, RJ, 2017. Disponível em https://books.google.com.br. Acesso em setembro de 2018.

LIMA, R. A. D. A., FIGUEIREDO, F. N. L., JÚNIOR, R. V., VENTURA, A. F. A. Educação Orçamentária Familiar: Uma ferramenta que promove qualidade de vida no Sertão Paraibano. Caminho Aberto: Revista de Extensão do IFSC, v. 4, 2016.

LOPES, L. B., LABANCA, T., GOMES, N. & GOMES, N. Planejamento Financeiro: Como os Alunos do Curso de Ciências Contábeis Gerenciam seu Salário. Anais do Seminário Científico da FACIG, v. 1, 2017.

MACHADO, R. P. A ética confucionista e o espírito do capitalismo”: narrativas sobre moral, harmonia e poupança na condenação do consumo conspícuo entre chineses ultramar. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, RS, n. 28, 2013. Disponível em http://www.scielo.br. Acesso em 20 de outubro de 2018.

MARGIOTTA, R. & MEGALE, R. Dinheiro no bolso 2: como fazê-lo render? Revista Seleções Reader’s Digest. Reader´s Digest, Rio De Janeiro, RJ, 2013.

MARQUES, M. L. M. & FRADE, C. Regular o sobre endividamento. Coimbra, Faculdade de Economia, Universidade de Coimbra, 2003.

MASSARO, A. Como cuidar de suas finanças pessoais. Conselho Federal de Administração – Brasília, DF: Conselho Federal de Administração, 2015. Disponível em http://cfa.org.br/wp-content/uploads. Acesso em outubro de 2018.

MAURO, R. O consumo moderno como experiência romântica e estética, da imaginação à imagem. Signos do Consumo, São Paulo, SP, v. 8, n. 1, 2016. Disponível em http://www.revistas.usp.br. Acesso em 19 de outubro de 2018.

OCDE - Organização para Cooperação e Desenvolvimento (Organization for Economic Co-operation and Development). Recommendation on principles and good practices for financial education and awareness, 2013. Disponível em www.oecd.org. Acesso em julho de 2019.

ORTIGOZA, S. A. G. & CORTEZ, A. T. C. (orgs.) Da produção ao consumo: impactos socioambientais no espaço urbano. Editora UNESP, Cultura Acadêmica, São Paulo, SP, 2009. Disponível em http://books.scielo.org. Acessado em 20 de outubro de 2018.

PADILHA, M. C. D. A influência do planejamento financeiro pessoal na consecução dos resultados: indivíduo/organização. FACMAIS: Revista Científica. Goiás. v. 2, n. 1, ano 2012. Disponível em http://revistacientifica.facmais.com.br. Acesso em setembro de 2018.

PEIC – Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor. Disponível em www.cnc.org.br. Acesso em abril de 2019.

RETONDAR, A. M. A (re) construção do indivíduo: a sociedade de consumo como “contexto social” de produção de subjetividades. Sociedade e Estado, Brasília, v. 23, n 1, 2008. Disponível em http://www.scielo.br. Acesso em outubro de 2018.

ROESCH, S. M. A. Projetos de estágio e de pesquisa em administração: guia para estágios, estudos de conclusão, dissertações e estudos de caso. Colaboração Grace Vieira Becker, Maria Ivone de Mello. 2° Edição, Editora Atlas, São Paulo, SP, 1999.

RUBERTO, I. V. G., DA SILVEIRA, V. G., VIEIRA, K. M., BENDER FILHO, R. A influência dos fatores macroeconômicos sobre o endividamento das famílias brasileiras no período 2005-2012. Estudos do CEPE, 2013.

SEVERINO, A. J. Metodologia do estudo científico. 23° Edição, Revista Atualizada, Cortez, São Paulo, SP, 2007.

SILVA, A. B. B. Mentes consumistas: do consumismo à compulsão por compras. 1° Edição, São Paulo: Globo, 2014. Disponível em http://politicaedireito.org. Acesso em outubro de 2018.

SILVA, F. C., & DA SILVA, J. G. Devo Não Nego... Uma Análise da Gestão Financeira Pessoal dos Consumidores de Ituiutaba/Mg. Anais do IV SINGEP, São Paulo, SP, 2015.

SILVA, J. D. L., SOUZA, D. D. & FAJAN, F. D. Análise do endividamento e dos fatores que influenciam o comportamento de alunos universitários. Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, v. 12, 2015.

SOMAVILLA, A. S., DE OLIVEIRA, C. R. V., IKUTA, C. M. T., TAVARES, I. M. Educação financeira para crianças: relato de experiência de um projeto de extensão. Caminho Aberto: Revista de Extensão do IFSC, v. 5, p. 15-25, 2017.

TRINDADE, L. Determinantes da Propensão ao Endividamento: um estudo nas mulheres da mesorregião centro ocidental rio-grandense. Dissertação de Mestrado da Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Santa Maria, RS, 2009.

Publicado

2020-06-29

Como Citar

Nyari, N. L. D., Portela, J. D. A., Böhm, G. T., Bohm, S. I. H., & Pinheiro, S. L. (2020). INTELIGÊNCIA FINANCEIRA: ESTUDO DE CASO COM COLABORADORES DE UMA MULTINACIONAL DE ALIMENTOS. Vivências, 16(31), 27-48. https://doi.org/10.31512/vivencias.v16i31.109

Edição

Seção

ARTIGOS DE FLUXO CONTÍNUO