EDUCAR POR MEIO DA LUDICIDADE, AMPLIANDO AÇÕES DE SAÚDE: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores

  • Cisnara Pires Amaral Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Santiago, RS, Brasil https://orcid.org/0000-0002-5510-5710
  • Gabriel Pereira Lopes Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Santiago, RS, Brasil
  • Patrícia Vielmo Galvani Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Santiago, RS, Brasil
  • Lucas Machado Bertolo Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Santiago, RS, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v16i31.136

Resumo

Na atual conjuntura nos deparamos com crianças que chegam as escolas apresentando deficiências nutricionais comprovadas pelo consumo exagerado de frituras, bolachas, doces e refrigerantes sinalizando que estamos diante do desenvolvimento de uma população sedentária, propensa à desenvolver diabetes, doenças cardiovasculares e obesidade mórbida. Dessa forma, o presente trabalho de extensão teve como objetivo oportunizar as escolas de ensino fundamental – anos iniciais, do município de Santiago/RS brincadeiras e discussões sobre saúde, alimentação e hábitos saudáveis, utilizando para isso personagens infantis do filme “Toy Story”. Para a atividade, dois acadêmicos se caracterizaram de “Jessy e Woody” e desenvolveram um jogo interativo com discentes de 1º ao 5º ano do ensino fundamental de uma escola particular e três escolas públicas estaduais, totalizando 530 crianças. Para a pesquisa de dados foi proposto um questionário semiaberto para as regentes das turmas e suas monitoras, totalizando 25 questionários. Notou-se a diferença entre as escolas, sendo que a particular apresenta estratégias para auxiliar a nutrição do discente como dias estipulados para o consumo de frutas, bolos da vovó, sanduíches e compras no bar. As escolas públicas fornecem merenda para os discentes, porém é muito alto o consumo de produtos industrializados no bar. Dessa forma, conclui-se que é fundamental a inserção de atividades acadêmicas como projeto de extensão que visem e auxiliem a promoção da saúde, que o uso de personagens infantis promove a identificação da criança com seu personagem favorito, relacionando o não apenas a produtos industrializados, mas ao desenvolvimento de hábitos saudáveis.

Referências

ALMEIDA, A. Ludicidade como instrumento pedagógico. Cooperativa do Fitness, Belo Horizonte, jan. 2009. Seção Publicação de Trabalhos. Disponível em: http:www.cdof.com.br/recrea22.htm. Acesso em 12 fev. de 2013.

BÖCK, V. R. Motivação para aprender. Motivação para ensinar: Reencantando a escola. Porto Alegre: CAPE, 2008.

BRASIL, L. M. P.; FISBERG, M.; MARANHÃO, H.S. Excesso de peso de escolares em região do nordeste brasileiro: contraste entre as redes de ensino pública e privada. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, Recife, v. 7, n. 4, p. 405-412, 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Acolhimento nas práticas de produção de saúde. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde. 2006b. 42p.

CARVALHO, S.R. Saúde coletiva e promoção da saúde: sujeito e mudanças. São Paulo: Hucitec, 2005.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J.A.; PERNAMBUCO, M.M. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 2009.

DIAMOND, J. O mundo até ontem: O que podemos aprender com as sociedades tradicionais? 1 ed. Rio de Janeiro: Record, 2014.

ESTANISLAU, G.M.; BRESSAN, R.A. Saúde Mental na escola: o que os educadores devem saber. Porto Alegre: Artmed, 2014.

FONTANA, R.T. A vigilância sanitária no contexto escolar: um relato de experiência. Rev Bras Enferm, Brasília; v. 61, n.1, p. 131-4, 2008;

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 º ed. São Paulo: Editora Atlas S.A, 2008.

MONTEIRO, C.A, CANNON, G. The impact of Transnational “Big Food” Companies on the South: a view form Brazil. PLoS Medicine. v.9, n.7, p.1-5, 2012.

MONTEIRO, C.A. Invited commentary: nutrition and health. The issue is not food, nor nutrients, so much as processing. Public Health Nutr. v.12, n.5, p.729-731, 2009.

MONTEIRO, C.A.; LEVY, R.B.; CLARO, R.M.; CASTRO, I.R.R.; CANNON, G. Increasing consumption of ultra-processed foods and likely impact on human health: evidence from Brazil. Public Health Nutr. v.14, n.1, p.5-13, 2010.

MUNARIM, I. A. Violência na Programação Infantil da TV e as Brincadeiras das Crianças. CONGRESSO SULBRASILEIRO DE CIÊNCIAS DO ESPORTE, 2 out/2004. Anais... Criciúma: CBCE/UNESC, 2004.

Publicado

2020-06-29

Como Citar

Amaral, C. P., Lopes, G. P., Galvani, P. V., & Bertolo, L. M. (2020). EDUCAR POR MEIO DA LUDICIDADE, AMPLIANDO AÇÕES DE SAÚDE: RELATO DE EXPERIÊNCIA. Vivências, 16(31), 315-325. https://doi.org/10.31512/vivencias.v16i31.136

Edição

Seção

ARTIGOS DE FLUXO CONTÍNUO