ANÁLISE DA CONCENTRAÇÃO EXTRACELULAR DOS NUCLEOTÍDEOS DA ADENINA DE INDIVÍDUOS SUBMETIDOS AO EXERCÍCIO DE FORÇA

Autores

  • Gabriel Mollmann Martins Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, São Luiz Gonzaga, RS
  • Bruno Costa Teixeira Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, São Luiz Gonzaga, RS

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v16i30.157

Resumo

  Introdução: O sistema purinérgico é um sistema de sinalização extracelular que influencia processos fisiológicos e patológicos. O exercício de força promove adaptações sendo sugerido como recurso terapêutico em algumas patologias crônicas. Dados apontam uma possível influência do exercício sobre o sistema, porém as bases bioquímicas desse processo ainda não estão muito bem compreendidas. Objetivos: Verificar o efeito de uma sessão de exercício de força sobre a hidrólise extracelular dos nucleotídeos da adenina no plasma sanguíneo de indivíduos adultos jovens sedentários. Métodos: Indivíduos sem patologia prévia foram selecionados, os mesmos foram avaliados, responderam ao questionário e submetidos ao teste de 1RM. Sete dias após a avaliação, realizaram o protocolo consistindo em 7 exercícios de força a 85% de seu 1RM. Amostras sanguínea foram coletadas pré e pós-exercício. O plasma sanguíneo foi separado e a atividade enzimática foi avaliada pela liberação de fosfato inorgânico (Pi). Resultados: Onze indivíduos com idade: 22,27±2,49 anos; estatura: 1,75±0,05 m; IMC: 24,5±3,97 kg/m² e somatório de dobras: 135,63±47,24 mm. A hidrólise da adenosina 5’-difosfato (ADP), adenosina 5’monofosfato (AMP) e p-nitrofenil 5’-timinidina monofosfato (p-Nph-5’-TMP), mostraram-se diminuídas significativamente pós protocolo de exercício e adenosina 5’-trifosfato (ATP) diminuiu pós exercício. Conclusão: Resultados demonstram de forma inédita uma modificação do exercício de força sobre a hidrólise de ATP, ADP, AMP e atividade enzimática de p-Nph-5’-TMP após exercício de força, indagando o papel do exercício como modulador do sistema purinérgico, como já vem sendo descrito na literatura. Mais estudos são necessários para melhor compreensão das ações do exercício físico na sinalização purinérgica.

  Introdução: O sistema purinérgico é um sistema de sinalização extracelular que influencia processos fisiológicos e patológicos. O exercício de força promove adaptações sendo sugerido como recurso terapêutico em algumas patologias crônicas. Dados apontam uma possível influência do exercício sobre o sistema, porém as bases bioquímicas desse processo ainda não estão muito bem compreendidas. Objetivos: Verificar o efeito de uma sessão de exercício de força sobre a hidrólise extracelular dos nucleotídeos da adenina no plasma sanguíneo de indivíduos adultos jovens sedentários. Métodos: Indivíduos sem patologia prévia foram selecionados, os mesmos foram avaliados, responderam ao questionário e submetidos ao teste de 1RM. Sete dias após a avaliação, realizaram o protocolo consistindo em 7 exercícios de força a 85% de seu 1RM. Amostras sanguínea foram coletadas pré e pós-exercício. O plasma sanguíneo foi separado e a atividade enzimática foi avaliada pela liberação de fosfato inorgânico (Pi). Resultados: Onze indivíduos com idade: 22,27±2,49 anos; estatura: 1,75±0,05 m; IMC: 24,5±3,97 kg/m² e somatório de dobras: 135,63±47,24 mm. A hidrólise da adenosina 5’-difosfato (ADP), adenosina 5’monofosfato (AMP) e p-nitrofenil 5’-timinidina monofosfato (p-Nph-5’-TMP), mostraram-se diminuídas significativamente pós protocolo de exercício e adenosina 5’-trifosfato (ATP) diminuiu pós exercício. Conclusão: Resultados demonstram de forma inédita uma modificação do exercício de força sobre a hidrólise de ATP, ADP, AMP e atividade enzimática de p-Nph-5’-TMP após exercício de força, indagando o papel do exercício como modulador do sistema purinérgico, como já vem sendo descrito na literatura. Mais estudos são necessários para melhor compreensão das ações do exercício físico na sinalização purinérgica.

Referências

AMBROSE KR, GOLIGHTLY YM. Physical exercise as non-pharmacological treatment of chronic pain: Why and when. Best Pract Res Clin Rheumatol [Internet]. Elsevier Ltd; 29(1):120–30. 2015

AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE. A quantidade e o tipo recomendados de exercícios para o desenvolvimento e a manutenção da aptidão cardiorrespiratória e muscular em adultos saudáveis. Rev Bras Med Esporte, vol.4, n.3 [acesso em: 2017-10-16], pp.96-106, 1998

BURNSTOCK G. Purinergic signalling: past, present and future. Brazilian J Med Biol Res. 42:3–8. 2009

BURNSTOCK G. Potential Therapeutic Targets in The Rapidly Expanding Field of Purinergic Signalling. Clin Med (Northfield Il).;2(1):45–53. 2002.

CARDOSO AM, SCHETINGER MRC, CORREIA-DE-SÁ P, Sévigny J. Impact of ectonucleotidases in autonomic nervous functions. Auton Neurosci. Elsevier B.V.; 191:25–38. 2015.

COLBERG, SR et al.; American College of Sports Medicine; American Diabetes Association. Exercise and type 2 diabetes: the American College of Sports Medicine and the American Diabetes Association: joint position statement. Diabetes Care; 33:e147–e167. 2010.

COPPOLA A, COPPOLA L, DALLA MORA L, et al. Vigorous exercise acutely changes platelet and B-lymphocyte CD39 expression. J Appl Physiol. 98(4):1414–9, 2015.

DRURY A N, SZENT-GYÖRGYI A. The physiological activity of adenine compounds with especial reference to their action upon the mammalian heart. J Physiol. 68(3):213–37. 1929.

EGAN B; ZIERATH, J Exercise Metabolism and the Molecular Regulation of Skeletal Muscle Adaptation, In Cell Metabolism, Vol 17, 2, 162-184, 2013.

HASKELL, L. et al. Physical activity and public health: updated recommendation for adults from the American College of Sports Medicine and the American Heart Association. Med and Science in Sports and Exercise, Hagerstown, v. 39, n. 8, p. 1423-1434. 2007.

KINUGAWA T, FUJITA M, OGINO K, et al. Catabolism of Adenine Nucleotides Favors Adenosine Production Following Exercise in Patients with Chronic Heart Failure. J Card Fail. 12(9):720–5, 2006.

KRUK J. Health and Economic Costs of Physical Inactivity. Asian Pac J Canc Prev.;15(18):7499–503. 2014.

LANGFORT J, CZARNOWSKI D, PILIS W, et al Effect of various types of exercise training on 5’-nucleotidase and adenosine deaminase activities in rat heart: influence of a single bout of endurance exercise. Biochem Mol Med.;59(1):28–32, 1996.

MARTIN A., FITZSIMONS C., JEPSON R., et al Interventions with potential to reduce sedentary time in adults: systematic review and meta-analysis Br. J. Sports Med., pp. 1056–1063, 2015.

MORITZ, C. E. J. et al. Physical training normalizes nucleotide hydrolysis and biochemical parameters in blood serum from streptozotocin-diabetic rats, Arch. Physiol. Biochem., no. January, pp. 1–7, 2012.

MORITZ CEJ, ABREU-VIEIRA G, PIROLI C, et al. Physical training normalizes nucleotide hydrolysis and biochemical parameters in blood serum from streptozotocin-diabetic rats. Arch Physiol Biochem. (January):1–7, 2016.

PEDERSEN BK, BRANDT C. The role of exercise-induced myokines in muscle homeostasis and the defense against chronic diseases. J Biomed Biotechnol. 2010;2010.

PINTO, R. S., LUPI, R., BRENTANO, M. A. Respostas metabólicas ao treinamento de força: uma ênfase no dispêndio energético. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, Florianópolis, SC. Vol. 13, n. 2, p. 150-157. 2011.

ROQUE FR, SOCI UPR, ANGELIS K DE, et al. Moderate exercise training promotes adaptations in coronary blood flow and adenosine production in normotensive rats. Clinics. 66(12):2105–11, 2011.

RÜCKER B, et., al. The nucleotide hydrolysis is altered in blood serum of streptozotocin-induced diabetic rats. Arch Physiol Biochem. 116(2):79–87, 2010.

SIQUEIRA IR, et al. A neuroprotective exercise protocol reduces the adenine nucleotide hydrolysis in hippocampal synaptosomes and serum of rats. Brain Res. Elsevier B.V.; 1316:173–80. 2010.

SIQUEIRA IR, ELSNER VR, RILHO LS, et al. A neuroprotective exercise protocol reduces the adenine nucleotide hydrolysis in hippocampal synaptosomes and serum of rats. Brain Res. Elsevier B.V.; 1316:173– 80, 2010.

TIPTON CM. Exercise, Training and Hypertension: An Update. Exerc Sport Sci Rev. 1991;19(1):447–506.

VITORINO, D., BUZZACHERA, C., ELSANGEDY, H. O óxido nítrico (NO) e o papel vasodilatador durante o exercício físico. Revista Digital - Buenos Aires - Año 12 - N° 113 - Octubre de 2007.

WHO, WHO. GLOBAL RECOMMENDATIONS ON PHYSICAL ACTIVITY FOR HEALTH. Geneva World Heal Organ [Internet]; 60. Disponível em: http://medcontent.metapress.com/index. Acesso em: 19/10/17. 2010.

YEGUTKIN GG, SAMBURSKI SS, MORTENSEN SP, et al. Intravascular ADP and soluble nucleotidases contribute to acute prothrombotic state during vigorous exercise in humans. J Physiol. 579(Pt 2):553–64, 2007.

Publicado

2019-12-11

Como Citar

Martins, G. M., & Teixeira, B. C. (2019). ANÁLISE DA CONCENTRAÇÃO EXTRACELULAR DOS NUCLEOTÍDEOS DA ADENINA DE INDIVÍDUOS SUBMETIDOS AO EXERCÍCIO DE FORÇA. Vivências, 16(30), 271-284. https://doi.org/10.31512/vivencias.v16i30.157

Edição

Seção

ARTIGOS DO PRÊMIO DESTAQUE