O CORPO QUE PEDALA: CONDICIONANTES SOCIOECONÔMICOS E CULTURAIS A PARTIR DO USO DA BICICLETA COMO MEIO DE LOCOMOÇÃO ENTRE TRABALHADORES

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i32.272

Resumo

Os movimentos que estimulam o uso da bicicleta como meio de locomoção tornaram-se crescentes no Brasil. São diversas as finalidades de pedalar: diversão, lazer, passeio, locomoção diária, entre outros. As pesquisas científicas têm enfatizado que o uso do aparelho proporciona benefícios para a população, desde as questões econômicas, políticas, sociais e ecológicas. Os sentidos e significados atribuídos aos usos da bicicleta podem ser compreendidos através das representações sociais, históricas, econômicas e culturais que derivam desta prática corporal. O presente trabalho pretende investigar o uso da bicicleta e a vinculação profissional, os aspectos socioeconômicos e culturais relacionados ao uso da bicicleta como meio de locomoção entre trabalhadores, bem como, desvelar os significados associadas a tal prática, no município de Irati-PR. Para atender aos objetivos, foram realizadas entrevistas com quatro trabalhadores que usam o aparelho diariamente. Desta maneira, intenciona-se provocar e sensibilizar os leitores para a condição de invisibilidade que rodeia este grupo social, na tentativa de fazer repensar práticas naturalizadas no cotidiano, às quais reforçam a estratificação social e a desigualdade numa sociedade excludente.

Palavras-chave: Bicicleta. Meio de locomoção. Trabalhadores. Sentidos e significados.

Publicado

2020-12-14

Como Citar

O CORPO QUE PEDALA: CONDICIONANTES SOCIOECONÔMICOS E CULTURAIS A PARTIR DO USO DA BICICLETA COMO MEIO DE LOCOMOÇÃO ENTRE TRABALHADORES. (2020). Vivências, 17(32), 283-303. https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i32.272

Edição

Seção

ARTIGOS DE FLUXO CONTÍNUO