EQUOTERAPIA: UM OLHAR CLÍNICO SOBRE O EQUINO TERAPEUTA

Autores

  • Ricati Lima Majewski URI
  • Daniela dos Santos de Oliveira URI

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i32.377

Resumo

Equoterapia é uma técnica que complementa outros tipos de tratamentos, como terapia ocupacional. É um método terapêutico que utiliza cavalos para auxiliar na reabilitação de pessoas com algum tipo de deficiência ou não, seja física, psicológica ou cognitiva. Ela estimula a mente e o corpo por meio dos movimentos do andar do cavalo, movimentos estes, tridimensionais, para cima e para baixo, para um lado e o outro, para frente e para trás onde o cavaleiro/praticante é levado a contrair e relaxar os músculos do organismo, melhorando suas percepções, funções motoras e, principalmente, o equilíbrio. Assim como existem limitações com pacientes, não é qualquer animal que pode ser usado para essa técnica. A equoterapia também é uma atividade lúdica. Os praticantes podem participar de atividades cotidianas do animal, como alimentação, escovação e banho. O equino deve ser treinado/adestrado para contribuir de forma eficaz com o tratamento, deve estar apto a realizar movimentos como paradas e partidas precisas, passadas curtas ou largas, sendo necessário ainda ter uma diversidade de trotes, impulsão e engajamento maior e menor. Como a maioria dos praticantes são crianças ou têm limitações físicas, é necessário que o animal tenha uma estatura mediana, para não dificultar a montaria e garantir maior segurança contra quedas. A higiene do animal para esta prática, deve ser impecável. O objetivo do bolsista é controlar vacinas, vermífugos, limpezas, banhos e alimentação, prevenir doenças nos animais e proteger os pacientes para que possam praticar a técnica terapêutica com o máximo de segurança.

Biografia do Autor

Ricati Lima Majewski, URI

Acadêmico do Curso de Medicina Veterinária da URI Erechim, desde 2018. Bolsista de extensão do Projeto Fortalecer- Equoterapia desde 2019.

Daniela dos Santos de Oliveira, URI

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Pelotas (1999), mestrado em Mestrado em Ciencias pela Universidade Federal de Pelotas (2003) e doutorado em Engenharia de Alimentos pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (2011). Atualmente é coordenadora do Curso de Medicina Veterinária da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões. Coordenadora da Comissão de Ensino em Medicina Veterinária CRMV/RS. Tem experiência na área de Medicina Veterinária, atuando principalmente nos seguintes temas: anatomia animal, bovinos de leite, leite, composição do leite, qualidade e estabilidade proteíca.  

Referências

ANDE. Associação Brasileira de Equoterapia [homepage na Internet]. Brasília: ANDE - Brasil. Disponível em: < http://www.equoterapia.org.br/site/> . Acesso em: 06 Set. 2018.

ANJOS, A. N. A. As práticas de manejo alimentar de equinos estabulados na Ilha de Santa Catarina. 2012. 53 f. Dissertação (Trabalho de conclusão de curso em Zootecnia). Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, 2012.

BLANCOU, J.; Les anciennes methodes de surveillance et de controle de la morve. Bulletin Societé Veterinaire Prat. de France, v. 78, n. 01, p. 34 – 54, 1994.

FRANCO, M. M. J.; PAES, A. C.. Anemia infecciosa equina. Veterinária e Zootecnia, v. 18, n. 2, p. 197-207, 2011. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/140881 .

HADDAD, C.M. Uma sucessão de erros. Revista Hippus. EdTrês,1991.Korolkovas, A. Dicionário Terapêutico Guanabara, Ed.Guanabara Koogan, Edição 1997/1998, p.10.18

LERMONTOV, T.. A psicomotricidade na equoterapia. Idéias e Letras, São Paulo, 2004. Disponível em : file:///D:/Meus%20Documentos/Documents/INICIAÇÃO%20CIENTÍFICA/CAVALOS%20PARA%20ECOTERAPIA/CAVALOS%20PARA%20EQUOTERAPIA/Andadura%20e%20postura%20do%20cavalo.pdf . Acesso em: 16 Jan. 2019.

MAPA, 2003. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Disponível em www.agricultura.gov.br .

TUDO SOBRE EQUOTERAPIA: Disponível em: https://blog.freedom.ind.br/tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-a-equoterapia/ Acesso em 20 Jul. 2020

TRIDENTE, Márcia Franco. Importância do casqueamento e ferrageamento no cavalo atleta. 2011. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Medicina Veterinária) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, 2011. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/121621.

Publicado

2020-12-14

Como Citar

Lima Majewski, R., & dos Santos de Oliveira, D. (2020). EQUOTERAPIA: UM OLHAR CLÍNICO SOBRE O EQUINO TERAPEUTA. Vivências, 17(32), 399-408. https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i32.377

Edição

Seção

ARTIGOS DO PRÊMIO DESTAQUE