VIOLÊNCIA DE GÊNERO: INTERVENÇÕES, DISCUSSÃO E RESSIGNIFICAÇÕES

Autores

  • Naillê Belmonte Trindade Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões
  • Lizete Dieguez Piber Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Santo Ângelo, Rio Grande do Sul, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i32.392

Resumo

Este artigo tem como objetivo abordar a violência, principalmente a violência de gênero, entendida como um problema social, produto da sociedade estruturada pelo patriarcado e pelo machismo, versando sobre seu conceito, manifestações e suas implicações como também discussões e intervenções propostos no Projeto de Extensão. A partir do Plano de Trabalho da Bolsista intitulado “Violência contra a mulher: intervenções, discussão e ressignificações” foram articuladas diversas ações interventivas no combate à violência contra a mulher, realizando atividades, eventos, encontros, rodas de conversa, produção de materiais, palestras, entre outros, junto à comunidade a qual abrange, trabalhando articuladamente a outras entidades e profissionais. Buscou-se fortalecer o engajamento de mais indivíduos para discutir sobre a temática, utilizando-se também de plataformas digitais para propagar informações, informar dispositivos de denúncia à violência contra a mulher e conscientizar a população em geral. Acredita-se que a Universidade Comunitária tem compromisso com a sociedade e o Projeto de Extensão cumpre com as finalidades propostas, proporcionando aos indivíduos da comunidade intervenções e reflexões, pensando novos caminhos para o enfrentamento da violência de gênero e estimulando o bem-estar psicossocial.

Biografia do Autor

Lizete Dieguez Piber, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Santo Ângelo, Rio Grande do Sul, Brasil

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Católica de Pelotas (1982), especialização em Educação: Psicopedagogia pela Universidade Federal de Pelotas (1989) e mestrado em Educação Brasileira pela Universidade Federal de Santa Maria (1995). Atualmente é professor da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Escolar/Educacional, Psicologia Social, atuando principalmente nos seguintes temas: violência em diferentes contextos, gênero, desenvolvimento, aprendizagem, fracasso escolar, inclusão.

Referências

ABRAMOVAY, M. et al. Escola e violência. 2. ed. Brasília: UNESCO/UCB, 2003.

AGUIAR, C. et al. Guia de serviços de atenção a pessoas em situação de violência. Salvador: Fórum Comunitário de Combate à Violência/Grupo de Trabalho Rede de Atenção, 2002.

ALMEIDA, T. Corpo feminino e violência de gênero: fenômeno persistente e atualizado em escala mundial. Revista Sociedade e Estado, v. 29, n. 2, 2014.

ARAUJO, Maria de Fátima. Gênero e violência contra a mulher: o perigoso jogo de poder e dominação. Psicol. Am. Lat., México, n. 14, out. 2008. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1870-350X2008000300012&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 26 jul. 2020.

BACHEGA, D. et al. Prevenção de violência contra a mulher na formação docência: análise de uma experiência. Currículo sem fronteiras, v. 19, n. 1, p. 278-292, jan./abr. 2019.

BALBINOTTI, Izabele. A violência contra a mulher como expressão do patriarcado e do machismo. Revista da ESMESC, v.25, n. 31, p. 239-264, 2018.

CERQUEIRA, D. et al. Atlas da Violência 2018. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada/ Fórum Brasileiro de Segurança Pública: Rio de Janeiro, 2017. Disponível em:

http://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/download/2/2018. Acesso em: 26 jul. 2020.

FRUGOLI, A., & JUNIOR, C. A. O. A sexualidade na terceira idade na percepção de um grupo de idosas e indicações para a educação sexual. Arquivos de Ciências da Saúde UNIPAR, Umuarama, v. 15(1), p. 85-93, 2011.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Saúde Mental e Atenção Psicossocial: Violência doméstica e familiar na pandemia de Covid-19. Rio de Janeiro: Ed. FIOCRUZ, 2020.

GIFFEN, K. Violência de gênero, sexualidade e saúde. Cadernos de Saúde Pública, 10:146-155, 1994.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA; FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA (Org.). Atlas da violência 2019. Brasília: Rio de Janeiro: São Paulo: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada; Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Violência social sob a perspectiva da saúde pública. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 10, supl. 1, p. S7-S18, 1994. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1994000500002&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 26 jul. 2020.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Violência e Saúde. Rio de Janeiro: Ed. FIOCRUZ, 2006.

SALES, Camila Maria Risso. Direitos humanos das mulheres: cidadania e emancipação. Revista Eletrônica Direito e Política, Itajaí, v. 13, n. 3, 2018. Disponível em: https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rdp/article/view/13714/7754. Acesso em: 16 jul. 2020.

SANTOS, Robério Gomes dos et al. Violência contra a Mulher à Partir das Teorias de Gênero. Id on Line Rev. Mult. Psic. v. 13, n. 44, p. 97-117, 2019.

SOUZA, G. R. Cidadania e incivilidades: reflexões e críticas fundamentadas nas representações sociais da violência urbana, INTERLINK, v. 2, n. 2, jul/dez. 2011.

TELES, M. A. de A.; MELO, M. O que é violência contra a mulher. São Paulo: Brasiliense, 2002.

TOLEDO, Eliza. O aumento da violência contra a mulher na pandemia de Covid-19: um problema histórico. Rio de Janeiro: Ed. FIOCRUZ, 2020. Disponível em: http://coc.fiocruz.br/index.php/pt/todas-as-noticias/1781-o-aumento-da-violencia-contra-a-mulher-na-pandemia-de-covid-19-um-problema-historico.html#.XwqAzW1KjIU. Acesso em: 26 jul. 2020.

Publicado

2020-12-14

Como Citar

Belmonte Trindade, N., & Dieguez Piber, L. (2020). VIOLÊNCIA DE GÊNERO: INTERVENÇÕES, DISCUSSÃO E RESSIGNIFICAÇÕES. Vivências, 17(32), 409-421. https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i32.392

Edição

Seção

ARTIGOS DO PRÊMIO DESTAQUE