UM ESTUDO SOBRE O IMAGINÁRIO E AS CONCEPÇÕES ACERCA DOS CONCEITOS DE RADIAÇÃO E RADIOATIVIDADE

Autores

  • Taniamara Vizzotto Chaves IFFAR
  • Alana Pereira Gimenez IFFAR
  • Dariane Andrade Valle IFFAR
  • Lucillana de Moraes Silveira IFFAR

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i32.82

Resumo

Este trabalho é resultado de uma pesquisa de campo desenvolvida junto à disciplina de Física Nuclear e de Partículas do curso de Licenciatura em Física de um Instituto Federal de Educação localizado no Rio Grande do Sul (RS). A atividade teve como objetivo verificar e mapear as concepções presentes no imaginário social sobre os termos/conceitos Radiação e Radioatividade. Como ferramenta de coleta de informações foi organizado um questionário que foi aplicado com sujeitos de diferentes níveis de escolarização e diversas faixas etárias. Após a aplicação, os dados foram tabulados e sistematizados a luz do referencial teórico adotado na disciplina. Os resultados obtidos evidenciam a confusão e o uso indistinto entre os termos Radiação e Radioatividade. Muitas informações transparecem ser advindas de meios de comunicação ou de vivências cotidianas. O grau de escolarização dos participantes não é um fator preponderante para o entendimento e a diferenciação dos termos reforçando a concepção de que a escola não trabalha com estes temas, necessitando assim discussões sobre a reorganização do currículo de forma a sanar essas lacunas de entendimento; além de propiciar aos educandos um olhar crítico e autônomo sobre os acontecimentos da sociedade promovendo uma efetiva alfabetização científica.

Referências

BATISTA, Rafael Alves. Uma atividade de extensão universitária para o ensino de física de partículas a alunos de ensino médio. Revista de Ensino de Ciências e Matemática. v.3, n. 2, p. 94‐115, 2012

BRASIL, Secretaria de Educação Básica. PCN+ Ensino Médio: Orientações Educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais – Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Média e Tecnológica, 2002.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação e Cultura, 2010.

CORTEZ, Jucelino; PRADO, Sandra Denise; ROSA, CLeci T. Werner. O legado de Madame Curie: relato de uma atividade para abordar radioatividade no ensino médio na perspectiva CTS. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 8, n. 5, p. 80-98, 2017.

GADOTTI, M. A questão da educação formal/não formal. Droit à l’éducation: solution à tous les problèmes ou problème sans solution? Sion: Institut Internacional des Droits de L’ Enfant, 2005.

GOHN, Maria da Glória. Educação não formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010.

HIPÓLIDE, Márcia Cristina. Contextualizar é reconhecer o significado do conhecimento científico. São Paulo: Editora Phorte, 2012.

MOREIRA, J. V. D. A. Radiobiologia: efeito das radiações ionizantes na célula e formas de protecção das radiações ionizantes. Dissertação de Mestrado. Universidade da Beira Interior, Ciências da Saúde. Covilhã: Universidade de Beira Interior, 2011.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

WARTHA, Edson José at al. Divulgação e popularização científica no projeto “ciência sobre rodas” como espaço educativo. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 6, n. 3, p. 113-131, 2015.

Publicado

2020-12-14

Como Citar

Chaves, T. V., Gimenez, A. P., Valle, D. A., & Silveira, L. de M. (2020). UM ESTUDO SOBRE O IMAGINÁRIO E AS CONCEPÇÕES ACERCA DOS CONCEITOS DE RADIAÇÃO E RADIOATIVIDADE. Vivências, 17(32), 69-83. https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i32.82

Edição

Seção

ARTIGOS DE FLUXO CONTÍNUO