RECURSOS INTANGÍVEIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NA AMAZÔNIA: EXPERIÊNCIA DE INOVAÇÃO SOCIAL RECA

Autores

  • Suzenir Aguiar da Silva Sato Universidade Federal de Rondônia - UNIR - Cidade de Cacoal - Estado de Rondônia - Brasil
  • Ronaldo Leão de Miranda Universidade Regional de Blumenau - FURB - Cidade de Blumenau - Estado de Santa Catarina - Brasil
  • Alexandre Corrêa dos Santos Universidade Regional de Blumenau - FURB - Cidade de Blumenau - Estado de Santa Catarina - Brasil
  • Luciano Castro de Carvalho Universidade Regional de Blumenau - FURB - Cidade de Blumenau - Estado de Santa Catarina - Brasil

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i32.308

Resumo

O desenvolvimento econômico muitas vezes não considera a melhor gestão dos recursos naturais, um dos problemas atuais é a manutenção da sustentabilidade social das comunidades carentes que vivem no megabioma amazônico e ao mesmo tempo preservar a natureza, suas potencialidades e dimensões, de forma a garantir a sustentabilidade para gerações futuras. Diante da necessidade de manutenção dos recursos únicos e inimitáveis desta região e o manejo ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente rentável, a recente Teoria da Visão Baseada em Recursos Naturais (NRBV) oferece subsídios para as organizações desenvolverem mecanismos de atuação sustentável com recursos que são considerados diferenciados e que podem proporcionar desempenho superior. Neste contexto, este artigo pretende analisar como os recursos intangíveis da experiência de inovação social RECA influência o desenvolvimento sustentável na Amazônia. Trata-se de um estudo de caso qualitativo, de natureza descritiva e exploratória, realizado por meio de entrevistas com participantes do projeto RECA da região norte amazônica. Os achados analisados por meio de análise de conteúdo apontam que o projeto RECA adota características de cooperativismo e solidariedade, o que a torna, além de uma associação, um modelo social de trabalho que pode ajudar a manter a biodiversidade Amazônica.

Biografia do Autor

Suzenir Aguiar da Silva Sato, Universidade Federal de Rondônia - UNIR - Cidade de Cacoal - Estado de Rondônia - Brasil

Doutora em Administração pela UFRGS (2013), mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2002) e graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Rondônia (1996). Atualmente é professora efetiva da Universidade Federal de Rondônia - UNIR - Campus de Cacoal, atuando como professora e coordenadora da Especialização em Gestão Pública e professora do mestrado Agroecossistemas Amazônicos. É Pesquisadora e membro do grupo de pesquisa CECISA - Centro de Estudos de Ciências Socioambientais, CEDSA - Centro de Estudos Interdisciplinar e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia e do grupo de pesquisa Gepscal, desenvolvendo pesquisas e projetos de extensão sobre Viabilidade econômica, Custos de produção, inovação, gestão de micro e pequenos empreendimentos, uso sustentável dos Recursos Naturais e Desenvolvimento Sustentável.

Ronaldo Leão de Miranda, Universidade Regional de Blumenau - FURB - Cidade de Blumenau - Estado de Santa Catarina - Brasil

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis e Administração - PPGCC - PPGAD da Universidade Regional de Blumenau - FURB (Santa Catarina). Mestre em Desenvolvimento Regional pela Universidade Regional de Blumenau - FURB (Santa Catarina). Bacharel em Administração de Empresas pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - Campus de Santo Ângelo (Rio Grande do Sul).

Alexandre Corrêa dos Santos, Universidade Regional de Blumenau - FURB - Cidade de Blumenau - Estado de Santa Catarina - Brasil

Doutorando em Ciências Contábeis e Administração pela Universidade Regional de Blumenau FURB (Conceito CAPES 5); Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade Regional de Blumenau FURB (Conceito CAPES 5); Especialista em Perícia e Auditoria pela Universidade Estadual de Londrina UEL; Especialista em Controladoria e Finanças pela PUC-PR; Licenciado em Música pela Universidade Estadual de Londrina - UEL; Graduado em Ciências Contábeis pela Universidade do Paraná - UENP; Perito da Justiça Cível com atuação nas áreas Contábil e Financeira; Titular da empresa Atuaris Perícias Judiciais; Professor no Ensino Superior; Conhecimentos com ênfase nas áreas de Perícia e Auditoria.

Luciano Castro de Carvalho, Universidade Regional de Blumenau - FURB - Cidade de Blumenau - Estado de Santa Catarina - Brasil

Possui graduação em Administração de Empresas pela Faculdade Estácio de Sá de Vila Velha (2004). Especialista em Controladoria e Finanças pela FUCAPE/ES, Mestre em Administração pela Universidade Regional de Blumenau - FURB e Doutor em Administração pela FGV/SP (com Bolsa FAPESP), com estagio em Indiana University-Pardue Indianapolis University (IUPUI) com Bolsa CAPES, Estados Unidos, com foco em Gestão de Operações e Competitividade. Membro do Fórum de Inovação da EAESP/FGV, realiza pesquisas na área de Gestão de Operações, Qualidade em Serviços e Inovação.

Publicado

2020-12-14

Como Citar

Aguiar da Silva Sato, S., Leão de Miranda, R., Corrêa dos Santos, A., & Castro de Carvalho, L. (2020). RECURSOS INTANGÍVEIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NA AMAZÔNIA: EXPERIÊNCIA DE INOVAÇÃO SOCIAL RECA. Vivências, 17(32), 305-330. https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i32.308

Edição

Seção

ARTIGOS DE FLUXO CONTÍNUO